sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

A MUSSALA DOS TURCOS

A comummente chamada “Mussala dos Turcos”, é uma mussala construída no centro da capital paulista, porém seu nome real é Centro Islâmico de Diálogo Interreligioso (CIDI). Os primeiros turcos a chegarem no Brasil são desconhecidos pois, vários sírios, libaneses e palestinos chegaram ao Brasil com passaportes emitidos pela Turquia Otomana, que dominava o território desses países, por isso, inclusive, os mesmos eram chamados de “turcos”. Acredita-se que os primeiros turcos a desembarcarem no Brasil, via São Paulo, foram aqueles que fugiam da desintegração do Império Otomano com o fim da I Guerra Mundial, em 1918.

Muitos turcos assim se estabelecem em São Paulo, SP, mas os turcos tem uma peculiaridade que os difere dos árabes, mais de 90% deles professam o islamismo sunita sufi, ou seja, um islamismo mais esotérico, tanto que a tão conhecida ordem sufi rumi é criada na Turquia. Na década de 2010 os turcos adeptos da filosofia de Fethullah Gulen, começam a se juntar a alguns brasileiros que também são sufis ou adeptos dessa mesma filosofia e planejam construir um centro islâmico a fim de reunir turcos e brasileiros, e sufis das mais diversas ordens, surgindo assim o CIDI em 2014, no local que se encontra hoje.

Hoje o CIDI trabalha com atividades voltadas tanto para brasileiros como turcos, oferecendo aulas de religião em português, reuniões para turcos, ensino de língua turca para brasileiros, e outras atividades mais. O líder religioso dessa comunidade é o turco Sheik Assam, um dos mais eruditos quanto a filosofia de F. Gulen, que prega o diálogo com outras religiões, inclusive o judaísmo e religiões politeístas.

A mussala dos turcos se encontra na Rua Guarará, 100, Centro, São Paulo, SP, próximo a estação de metro Brigadeiro, na linha verde e também da Avenida Paulista.



segunda-feira, 12 de outubro de 2015

TUDO PRONTO PARA A ASHURA


A ashura, uma das maiores celebrações para os muçulmanos xiitas do mundo todo, vai começar nessa quarta-feira, dia 14 de outubro, e o Brasil não está fora dessa, serão 10 noites em vários lugares do Brasil relembrando esse evento. Em todos os locais o evento começará após a oração do crepúsculo juntamente com a da noite, cerca de 19:30 horas. A celebração relembra o assassinato de Hussein Ibn Ali (as), neto do Profeta Muhammad (saws) por tropas do segundo califa omíada, Yazid I, é um momento de profunda dor, já que Hussein (as), para os xiitas, foi um dos seus grandes líderes.

As cidades e locais que receberão e sediarão o evento são:
Foz do Iguaçu, PR, na Mesquita Imam Khomeini, e no Centro Cultural Ahlul Bayt;
Curitiba, PR, na Mesquita Imam Ali;
São Paulo, SP, na Mesquita Muhammad Mensageiro de Deus, no Centro Islâmico do Brasil, e no Centro Cultural Imam Ali;
Ponta Porã, MS, na Mesquita da cidade;
Ponta Grossa, PR, na Mesquita Imam Ali.

Todas essas comunidades convidam a todos que quiserem participar a irem, e aprenderem um pouco mais sobre a religião islâmica nesse momento único para os muçulmanos xiitas.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

A MUSSALA DE NATAL, RN

Em nossa série sobre as comunidades islâmicas espalhadas pelo Brasil, hoje chegamos a mais uma comunidade do nordeste brasileiro, que é a menor comunidade com local de reuniões e associação formada, a comunidade da cidade de Natal, capital do Rio Grande do Norte.
Natal foi fundada no longínquo ano de 1599, penúltimo ano do século XVI, e logo começou a se desenvolver. Hoje Natal tem cerca de 870 mil habitantes, situando como uma das maiores cidades do nordeste, e possuí diversas belas praias em seu território. Apesar das belezas naturais, e de ser uma das mais ricas cidades do nordeste, Natal nunca teve uma onda de imigração árabe grande para o local, então a religião islâmica demorou para chegar, chegando somente no início do século XXI, onde os muçulmanos locais começaram a se reunir em casas e locais simples, até alugarem um local para eles se reunirem, e em 15 de agosto de 2008 foi fundada a Associação Beficente Muçulmana do Rio Grande do Norte (ABMRN) no brairro da Ponte Negra com 12 membros.
Após a fundação a comunidade cresceu em número, e hoje são cerca de 45 muçulmanos na cidade, que também vem recebendo refugiados muçulmanos. A ABMRN aluga um prédio simples, com alguns tapetes, dois cômodos, mas que cabem todos os frequentadores, que rezam em cerca de 20 tapetes colocados no chão. A ABMRN recebe ajuda de outras comunidades do Brasil, que não a deixa desamparada em questões de material e divulgação do islamismo.
Para aqueles que desejarem visitar, a ABMRN fica na Avenida Praia de Ponta Negra, 9069 - Ponta Negra, RN, funcionando principalmente nas sextas-feiras, das 11 as 14 horas, que é o dia sagrado para os muçulmanos. 

FONTES


terça-feira, 18 de agosto de 2015

A MESQUITA DE LAGES SC


Hoje, em nosso blog, depois de um longo tempo sem escrever no mesmo, chegamos a nossa segunda Mesquita do estado de Santa Catarina, é uma das duas do estado, e uma das 4 comunidades islâmicas do estado, a Mesquita da cidade de Lages (numa publicação anterior já falamos sobre a Mesquita da cidade de Criciúma). A cidade de Lages está localizada no sul do estado, sendo que seu município já faz divisa com o estado do Rio Grande do Sul, e possui uma população de cerca de 150 mil habitantes, fazendo dela uma das maiores do estado.

Acredita-se que os primeiros árabes a chegarem a Lages na década de 1960, apesar de não ter dados ou trabalhos falando claramente sobre isso, mas sabe-se que em sua grande maioria eram sírios e libaneses cristãos que deixaram seus países. Porém entre tais, como em toda onda migratória notamos também a presença de muçulmanos, que logo começaram a ser organizar e em Abril de 1980 os muçulmanos abrem a Sociedade Islâmica de Lages, como relatam os jornalistas da época, e começam a construir a mesquita local para os muçulmanos ter um local grande de reunião. Assim, depois de alguns anos de trabalho, em 1986 é fundada a Mesquita da cidade de Lages. Por cerca de treze anos, essa foi a única mesquita do estado de Santa Catarina.

A mesquita de Lages tem uma bela arquitetura, contrasta as cores de verde e branco pelo lado de fora, e por dentro a beleza na distribuição de cores, na posição dos móveis e luminárias dá grande beleza ao local. Nela ainda há, além do amplo salão de rezas, uma biblioteca, salas para aulas e aposentos para o Sheik. A comunidade muçulmana local é totalmente sunita, e é formada por cerca de aproximadamente 50 famílias, muitas com origem árabe, porém já há um grande número de revertidos brasileiros, e a mesquita fica aberta sempre para atividades e visitas de alunos ao local. A mesquita é uma das poucas no interior do Brasil que fica aberta para todas as orações diárias dos muçulmanos em todos os horários (menos a da manhã) e todos os dias. O líder religioso local é o libanês Sheik Osman Mohamed Charif, e está ligada a CDIAL, sediada em São Bernardo do Campo, SP. A mesquita é aberta a quem quiser visita-la.

Endereço:

Avenida Castelo Branco, 583, Universitário, próximo a UNIPLAC, Lages, SC.

FONTE:

www.clmais.com.br/informacao/

sábado, 6 de junho de 2015

IMPORTANTES LIDERANÇAS EM SP

Mesquita Brasil recebe juiz libanês

A primeira mesquita a ser construída no Brasil, a Mesquita Brasil (sunita) recebe hoje a noite, em São Paulo  capital, as 20:30 horas, o Sheik Abdu Rahman Sharkyie, libanês, e juíz supremo de assuntos religiosos no Líbano, onde falará sobre o mês de ramadan, que faltam menos de 15 dias para começar. A palestra é aberta a todos que quiserem participar. A mesquita está localizada na esquina da Rua Barão de Jaraguá com a Avenida do Estado.

Mesquita do Brás recebe neto do Líder da Revolução Iraniana de 1979

A Mesquita Muhammad Mensageiro de Deus, mais conhecida como Mesquita do Brás (xiita) recebe hoje as 19:00 horas o Ayatollah Sayyed Hassan Khomeini, neto do líder da revolução iraniana o Grande Ayatollah Sayyed Roullah Khomeini. A celebração será por causa da relembrança da morte de seu avô, e também contará com a presença do embaixador do Irã. A celebração também é aberta a todos. A mesquita fica na Rua Elisa Witacker, 17, Brás, São Paulo SP.

sábado, 21 de março de 2015

NOTÍCIAS DA CAPITAL PAULISTA

SEMINÁRIO COM BILAL PHILLIPS NO FERIADO

A Mesquita do Pari juntamente com o Instituto Islâmico Ahmed Ibn Hanball, ambos sediados em São Paulo, SP, durante o fim de semana do feriado prolongado de Páscoa, trará ao Brasil o renomado divulgador e cientista islâmico Bilal Phillips para palestras no salão da Mesquita do Pari.
Bilal Phillips nasceu na Jamaica, mas se mudou novo para o Canadá e se naturalizou-se canadense, onde conheceu e se reverteu ao islam. Já escreveu diversas obras em inglês sobre o islam, e já tem algumas traduzidas para o português, e é mundialmente conhecido por ter aberto a Universidade Islâmica On-Line (IOU) para a formação de Sheiks.
As palestras ocorrerão entre os dias 03 e 05 de abril na Mesquita localizada na Rua Barão de Ladário, 922, Pari, São Paulo, SP, a partir das 14 horas.

REINAUGURAÇÃO DA MESQUITA DO BRÁS ACONTECE AMANHÃ

A Mesquita Muhammad Mensageiro de Deus, mais conhecida como Mesquita do Brás, que passava por uma reforma desde a metade de 2014, vai ser reinaugurada amanhã, 22 de março, as 15 horas, num evento público para toda a comunidade e todos que desejarem comparecer. A mesquita agora está mais moderna, contando com elevadores para deficientes, espaço amplo para as mulheres e diversos setores e salas restaurados.
Para os que desejarem comparecer, a celebração será na própria mesquita, localizada na Rua Elisa Witacker, 017, Brás, São Paulo, SP.

domingo, 1 de março de 2015

A MUSSALA DE CURITIBA

Bom, hoje vamos falar de um episódio que começou pequeno e acabou culminando com a divisão da comunidade muçulmana de Curitiba, capital do estado do Paraná, e por fim a criação da Mussala de Curitiba. É um episódio triste, pois mostra até onde o sectarismo pode ir, porém esse blog, sempre com o intuito de mostrar os fatos, coloca para o leitor o que acontece.

A comunidade muçulmana de Curitiba, praticamente desde seu início, sempre foi formada por muçulmanos sunitas e muçulmanos xiitas, ambas as escolas caminhavam juntos, desde seu início na cidade.A Sociedade Beneficente Muçulmana do Paraná foi fundada em 1957, e no local onde aconteciam as orações, sempre os muçulmanos de ambas as escolas de pensamento a frequentavam juntos, e de 1967 a 1982, passando pela fundação da Mesquita, em maio de 1972, o sheik, líder religioso da comunidade foi sunita. Normalmente trocado de dois em dois anos, eles todos que passaram eram naturais do Egito. No início de 1983, com o aumento de muçulmanos libaneses xiitas chegando a cidade, foi colocado assim na direção da mesquita um sheik xiita, o Sheik Abbas Baghdadi, libanês. Alguns muçulmanos sunitas não gostaram da troca, e pararam de frequentar a mesquita, porém a maioria dos sunitas continuaram a frequentar normalmente, e continuam até os dias atuais. No início da década de 1990, a mesquita foi renomeada para Mesquita Imam Ali, irritando a alguns sunitas sectaristas. Na década de 2000, o sectarismo continuava a crescer, principalmente entre sunitas originários do Marrcos e do Egíto, e em meados dessa década, alguns marroquinos começaram a alugar um galpão na cidade e a rezar nele, onde chamavam esse galpão de Mesquita de Curitiba. 

No início, tal ato não deu certo devido a falta de apoio da comunidade, e logo tal galpão fechou. Agora, novamente em 2014, com apoio de entidades como CDIAL, FAMBRAS e ILAEI, a Mussala de Curitiba foi fundada no segundo andar de uma casa, no dia 25 de fevereiro de 2014, sob o nome de Centro Islâmico de Curitiba. No momento da fundação, foi colocado como sheik da comunidade o Sheik Mohsen Al-Hosainy, de origem egípcia, que já teve a oportunidade de dirigir antes a comunidade muçulmana de Londrina, no interior do estado. De lá para cá vários eventos já foram feitos, como a celebração dos Eid Al-Fitr e Eid Al-Adha no local, sendo que o segundo contou com a presença de mais de 60 pessoas, ultrapassando o número de presentes na Mesquita de Curitiba na mesma festividade. O local não é grande, mas conta com espaços amplos para oração, tanto de homens como mulheres e estruturas que atentem a todos.
Apesar de tudo, em Curitiba, muçulmanos sunitas e xiitas continuam frequentando a Mesquita local tanto nas sextas-feiras como nas festividades comuns aos dois. Os sectaristas que formaram a Mussala de Curitiba não retiraram praticamente nenhum sunita da Mesquita de Curitiba.

Quem quiser visitar a Mussala de Curitiba, segue o endereço abaixo:

Centro Islâmico de Curitiba
Rua Bologna, 115, Cascatinha, Santa Felicidade, Curitiba, PR.
Tel: (41) 3015-6951

Fonte:

1 - NASSER FILHO, Omar. O Crescente e a Estrela na Terra dos Pinhais. Dissertação de Mestrado.
2 - Correspondente em Curitiba.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

NOTÍCIAS DO FERIADO PELO BRASIL


ENCONTRO ISLÂMICO ACONTECEU EM SÃO BERNARDO DO CAMPO

Entre os dias 14, sábado e 16, ontem, segunda-feira, aconteceu em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, o Encontro Islâmico, onde brasileiros muçulmanos puderam se encontrar e aprender sobre a religião com lideranças religiosas brasileiras e libanesas. Todos os dias houveram palestras de manhã e a tarde, todas na sede local, a Mesquita Abu Bakr Assadiq, que no caso, é a mesquita da cidade. Participaram do evento em principal o Sheik brasileiro Rodrigo Rodrigues e o libanês Kamal Chaim.


CELEBRAÇÕES EM SÃO PAULO E BRASÍLIA HOMENAGEIAM REVOLUÇÃO IRANIANA

Duas celebrações, uma em São Paulo capital, e outra em Brasília - DF, homenagearam a Revolução Islâmica do Irã, que aconteceu em 1979.

Em Brasília, a celebração aconteceu na Embaixada do Irã, onde além da presença do embaixador iraniano no Brasil, também contou com a presença de diversos iranianos que moram no Brasil, funcionários da embaixada e do Sheik M. S. Ebrahimi, iraquiano, que estudou no Irã, e hoje dirige a Mesquita de Curitiba - PR. A celebração se deu na noite de quarta-feira, 11 de fevereiro.

Em São Paulo - SP, a celebração aconteceu no Escritório Comercial Brasil - Irã, contando com a presença do Sheik Sayyed Hossein Khatami, chefe das relações comerciais Brasil - Irã, e também iraniano, e do Sheik R. Jalloul, brasileiro. Houveram na mesma a presença de diversos brasileiros muçulmanos, libaneses e iranianos. A celebração se deu no dia 13 de fevereiro, sexta-feira, no período da noite.

domingo, 1 de fevereiro de 2015

A MESQUITA DE SÃO MIGUEL PAULISTA


Depois de quase dois meses sem escrever no blog, fico feliz em retornar, e farei de tudo para que as postagens continuem e logo tudo volte ao normal. Para nossa postagem de retorno, hoje falaremos um pouco sobre a linda Mesquita Khalid Ibn Al-Wallid, no bairro de São Miguel Paulista, na maior cidade do país, São Paulo.

Como em toda São Paulo, o bairro de São Miguel Paulista, além de um bairro, também é nome de uma das regiões locais, ou seja, um conjunto de outros bairros próximos, formando a região. Amplamente povoado, o bairro faz parte do extremo da Zona Leste, a maior zona da cidade de São Paulo, e a região local faz divisa com as cidades de Poá e Ferraz de Vasconcelos, ambas na grande São Paulo, e por tal atrai pessoas dessas cidades ao mesmo. 

A mesquita foi construída na parte central do bairro, num local com muitas residências em volta, sendo ela inaugurada no mês de Janeiro do ano de 1978, e o atual minarete da mesquita foi colocado em 1999 e inaugurado em 30 de Junho de 2000. A mesquita recebeu o nome de Khalid Ibn Al-Wallid, um dos companheiros do Profeta Muhammad (saas) cuja bravura era muito conhecida, tendo sido ele a conquistar a Síria para os Muçulmanos, e por tal foi conhecido pelo apelido de “A Espada de Allah” (As-Saif-ullah, em árabe). A Mesquita conta com um salão de oração com belos tapetes vermelhos no segundo andar, bem como banheiros no mesmo andar. No primeiro andar há um salão para eventos, e do lado de fora há um grande estacionamento e parque para as crianças. A vegetação é algo singular nessa mesquita, pois da um ar de países árabes desérticos ao local.

A mesquita é frequentada principalmente por libaneses e sírios, e vários brasileiros convertidos ao islam. Sua orientação é de escola sunita, e seu atual Sheik é natural do Egito. As principais atividades na mesquita são os sermões a sexta-feira, e aulas para crianças e mulheres nos fins de semana. Qualquer um pode visitar a mesquita, que é aberta a comunidade local.